OS PARADOXOS DO DESENHO: NOTAS PARA UMA EPISTEMOLOGIA
Artigos/Referências Oficinas/Sem categoria

OS PARADOXOS DO DESENHO: NOTAS PARA UMA EPISTEMOLOGIA

Parte do conteúdo teórico a ser ministrado no Workshop“Figura Contemporânea” (Porto Alegre | 28 de março, 04, 11 e 18 de Abril | 2017) Mais informações aqui!   O Desenho opera mediações entre inúmeros paradoxos, desde o lugar do próprio desenhista – um espaço entre duas experiências: a experiência que advém no momento de ver; e outra, aquela que … Continuar lendo

Desenho: a diferença entre “copiar”, “colar” e “criar”
Artigos/Técnicas

Desenho: a diferença entre “copiar”, “colar” e “criar”

O que possibilita participação ativa na esfera da arte é o saber das linguagens. O conhecimento dos códigos constitutivos das categorias artísticas permite uma apreciação qualificada; mas há sempre algo que escapa, mesmo ao melhor crítico, ainda ao diletante mais perspicaz: o interior da técnica. Claro, saber “ler” um desenho a carvão não é o … Continuar lendo

FIGURA CONTEMPORÂNEA:  A técnica do desenho e a ressignificação Hiper-realista (Parte II)
Artigos/Técnicas

FIGURA CONTEMPORÂNEA: A técnica do desenho e a ressignificação Hiper-realista (Parte II)

Segunda parte do conteúdo a ser ministrado na Oficina “FIGURA CONTEMPORÂNEA:  Técnicas tradicionais e Hiper-realismo” (Florianópolis | 23, 24 e 25 de Fevereiro | 2016) Uma crença bastante comum é a de que o desenho seria fruto da introspecção do artista – uma suposta “imersão às profundezas de si mesmo”. Por conta de ilusões românticas assim, são … Continuar lendo

FIGURA CONTEMPORÂNEA: A técnica do desenho e a ressignificação do Hiper-realismo
Artigos/Técnicas

FIGURA CONTEMPORÂNEA: A técnica do desenho e a ressignificação do Hiper-realismo

Primeira parte do conteúdo a ser ministrado na Oficina“FIGURA CONTEMPORÂNEA:  Técnicas tradicionais e Hiper-realismo” (Florianópolis | 23, 24 e 25 de Fevereiro | 2016) A expressão é o que possibilita a existência – é sua plataforma constitutiva e fundacional. Logo que expresso, passo a existir, uma vez que minha existência é “informada”, posta na fôrma da linguagem, tornando-se … Continuar lendo